Você se considera uma Mulher Plena?

Vocês já se perguntaram o que as mulheres tem em comum?
Vivemos numa sociedade em que elas são muito cobradas. De um lado precisam suprir o amor do marido, dos filhos, dos amigos e familiares. De outro, dar atenção às tarefas de casa, à sua vida profissional e emocional. Muitas vezes, essas super mulheres deixam de lado os cuidados com seu corpo, sua mente e seu espírito.
No livro ‘Mulher Plena‘ da Bp. Ana Almeida, que li semana passada, vi o quanto as mulheres são frágeis e ao mesmo tempo fortes. Porém, muitas não sabem que tem essa última característica. “Segundo a ONU, 70% dos pobres do mundo são mulheres. Além disso, elas têm duas vezes mais chances de se aposentarem mais pobres do que os homens nos países desenvolvidos. Após o divórcio, a maioria das mulheres fica na pobreza e ainda são as maiores vítimas de violência doméstica no mundo.”

São dados impressionantes que demonstram que as mulheres ainda não sabem qual é o seu papel neste mundo. E, para todas as mulheres, eu deixo duas perguntas:
1. Como encontrar equilíbrio em meio às situações da vida?
2. Como ser uma mulher plena verdadeiramente?
São mães solteiras, mulheres bem-sucedidas profissionalmente, mas não emocionalmente. Brigas no lar, separações, falta de tempo, disposição, dinheiro ou saúde. São vários fatores que colocam em risco a estrutura feminina.
Para uma mulher ser plena será preciso fazer uma longa viagem para dentro de si mesma, conhecer os seus gostos, defeitos, qualidades, valores e sentimentos para enfim doar aquilo que temos para quem amamos.
Amei ler esse livro e percebi que devo mudar alguns conceitos na minha vida. A Bispa Ana oferece dicas práticas de como se tornar uma mulher plena, bem como exemplos e histórias emocionantes que tocam o coração. 
Se você já leu o livro, dê a sua opinião sobre ele comentando o post. Se não leu, eu recomendo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *